quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Fernando Pessoa

Hoje apeteceu-me ler poesia, e ao calha escolhi Fernando Pessoa, roubei-lhe este poema que retrata a minha imagem no dia de hoje, para todos os meus amigos dedico-lhes este poema:



Bem, hoje que estou só e posso ver

Bem, hoje que estou só e posso ver
Com o poder de ver do coração
Quanto não sou, quanto não posso ser,
Quanto se o for, serei em vão,

Hoje, vou confessar, quero sentir-me
Definitivamente ser ninguém,
E de mim mesmo, altivo, demitir-me
Por não ter procedido bem.



Falhei a tudo, mas sem galhardias,
Nada fui, nada ousei e nada fiz,
Nem colhi nas urtigas dos meus dias
A flor de parecer feliz.

Mas fica sempre, porque o pobre é rico
Em qualquer cousa, se procurar bem,

Fernando Pessoa


AnaBorges

3 comentários:

Marcelo disse...

Muito legal seu blog! parabéns pelos artigos que estão de excelente qualidade

RÁDIO ELOS disse...

parabéns pelo blog! esta D++++

abelhaferrona.blogspot.com disse...

Obrigado Marcelo, obrigado Rádio Elos, é sempre muito bom ler comentários como os vossos, ainda não tive tempo para ler os vossos bloges, porque eu não gosto de "passar" os olhos, gosto de deliciar-me ao ler o que um bloge transmite, irei em breve visitar-vos no vosso cantinho. Um abraço amigo,
AnaBorges