segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Saudades




Talvez um dia quando leres estas linhas,
esta mão que hoje as escreve já não tenham
mais vida, e estes olhos cansados de
derramarem lágrimas em vão, estejam
fechados: sentirás talvez remorsos por teres
dado tanto desprezo a alguém que só te
pedia um pouco de amor, nada mais.

Sentirás saudades dos olhos que procuravam
nos teus a certeza de ser amada;

Sentirás saudades, quem sabe da minha
boca, que se unia desesperadamente na tua
com a certeza que aquele sonho nunca
terminaria.

Sentirás também saudades, do meu corpo
que se entregava loucamente ao teu, com
vontade de matar nossos desejos que ás
vezes parecia nos matar de amor.

Mas apesar de tudo, foi a teu lado que vivi,
todos os momentos mais felizes da minha vida.

Quisera apenas que correspondesses à grandeza
do meu amor, construíndo os meus primeiros sonhos.

Sofri muito, muito, mais do que possas imaginar,
com a tua incerteza e as tuas saudades do passado.

Perdoa-me por um dia ter-me cruzado no teu
caminho e complicar tanto a tua vida, o teu coração,
ter-te obrigado a fazer escolhas; mas do modo como apareci
assim hei-de desaparecer.

Queria que esquecesses tudo o que houve entre nós,
não deverá ser muito difícil para ti ...,
faz de conta
que fui apenas uma página em branco no livro da tua vida;
eu continuarei a viver de saudades,
até que a morte se lembre de mim.

Nesse dia, verás aparecer no céu uma estrela
meio apagada ...
Serei eu lá no firmamento.

Estarei sempre a teu lado, e pedirei que
sejas feliz, que encontres a pessoa que te
mereça, e que o teu coração a receba, sem passados no meio.

E, se olhares para o céu, diz a quem estiver contigo
"aquela é uma estrela que morreu de amor e vive de saudades".

Autor desconhecido modificado por Ana Borges


2 comentários:

Teu disse...

Ninguém vive de passados. Embora existam pessoas que só lá atrás se sentem felizes. Nõa é o caso. Estou sempre onde estou. De corpo e alma. Nunca estou onde não quero estar e nunca estive onde não queria estar. nunca pautei a vida pelo que devia ter feito e não fiz. Não fiz sempre o que desejei. Com erros com acertos. Com tudo o que humanamente é humano. Limitei-me a ser Humano como gosto de ser. Inteiro. Nunca me vendi. E não sei o que é pedir. Mas também não sei exigir. Apenas recebo na medida em que dou. Não quero mais. Os passados se não soubermos construir futuros são apenas o suicidios do tempo que se vive. Não quero para mim tanta incerteza. Se ela existir é um fantasma que habita outra vida que não a minha.
Boa Noite Feiticeira

Gonçalo disse...

Mudaria a tua última frase para "aquela é uma estrela que descobriu o amor comigo, mas concretizou o amor com o sol"

Pensa nesta frase e nunca digas nunca ao amor e à alegria humana, se a minha missão contigo for fazer-te acreditar nisto, eu vou conseguir:)
Beijinho grande para ti e tem uma noite em paz:)

P.S.: Já te enviei o meu e-mail e MSN para o teu e-mail do Sapo:)