domingo, 8 de junho de 2008

SAUDADES, AI SAUDADES .......



SAUDADES

Saudades! Sim ... talvez ... e porque não? ...
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê? ... Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como o pãp!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!

autor: Florbela Espanca

4 comentários:

CUCO MALUCO disse...

Preservar a minha identidade é uma necessidade vital por razões políticas.
E como os políticos são todos uns mentirosos, admito ter de mentir para sobreviver.
Porém, nem 95, nem 45, nem 51 mas acima dos 55 e abaixo dos 65 não será mentir.
Maluco não sou :) mas achei "piada" à rima de cuco com maluco e assim criei o dito.
Mas, sou boa pessoa e, adoro voar com as minhas penas azuis.
Penas, na verdade, muitas.
Um abraço

Anónimo disse...

Acho fascinante "lidar" com desconhecidos que na maioria das vezes vejo todos os dias na tv, um político, um mentiroso, um cuco. Adorei... é simplesmente como mostrar um bolo e dizer não comes. Este "cuco" deixa-me água na boca, e uma mulher, é sempre uma mulher, mas como escorpião que sou, adoro o mistério, e como tal dá-me muito mais gozo.
Prazer, sr. cuco maluco, seja qual for a sua cor, já fui azul do FCP, mas agora sou Italiana, ainda não sei bem as cores, mas Mourinho mesmo altivo será sempre Mourinho.
Um favo de mel.
E como pode ver, adoro burros, por acaso era uma burra, mas era mesmo inteligente, se tivesse uma varanda maior, o meu animal de estimação era mesmo uma burra, passariamos a ser duas ...... adoro.
Um favo de mel
Abelhaferrona

CUCO MALUCO disse...

O fascínio pode estar numa simples palavra, num sorriso, numa lágrima, no vento, no mar, na gota de chuva.
O fascínio pode estar aqui ou aí.
Mas o mistério é o mais fascinante motivo para se estar vivo.
Um abraço numa bicada doce.

Anónimo disse...

Não acho que o mistério seja o mais fascinante motivo para se estar vivo, para mim, será talvez uma das "coisas" que mantém uma forma de viver, o fascínio do desconhecido sempre desde o inicio da humanidade fascinou o homem para o incitar à procura de novas formas para uma vida melhor, mas nem sempre uma vida melhor é sinónimo de uma melhor vida.
Aqui, vive-se no mistério, eu adoro o mistério, os meus filmes preferidos são os de terror. A literatura não, ai prefiro o mistério do amor, que continua a ser um grande mistério.
Um favo de mel
Abelhaferrona