sexta-feira, 17 de maio de 2013







Olhando pela vidraça
descubro uma rua
uma rua apenas
que importa quem pisa as pedras da rua
que importa quantos pés as calcam
são apenas coisas
coisas, que andam
andam, sem saber para onde vão
vão apenas
que importa o rumo que levam
levam, pesos às costas
costas, que se vergam
vergam, com o peso da tristeza
tristeza, essa que transmitem com o olhar
olhar, esse que é vago
vago, é tudo isto
isto, é o mundo em que vivemos
vivemos, para sofrer
sofrer, apenas
apenas, os passos
passos, pesados
pesados, pela dor e sofrimento
sofrimento, de quem não tem nada
nada, que os façam sorrir para brilhar o olhar
olhar, apenas a vidraça que se vê aquela rua ............

1 comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

olhando pela vidraça, conseguimos "ver" tanto...

:)