quarta-feira, 10 de junho de 2009

DESCOBERTAS .........



Descobertas???......

Vale uma ida a um Shopping, numa tarde sem nada na mente a não ser ver as montras, ver as novidades, ver as pessoas (coitadas parecem formigas apressadas), uns sem nada nas mãos, outros com alguns sacos de compras, mas todos com um ar de pressa, passo muito apressado como se o mundo fosse acabar amanhã e essa é a unica certeza que ninguém sabe ..... quando o mundo acaba.
Cansada de ver tanta canseira entrei na FNAC, passo a publicidade, e deambulando por entre prateleiras de CD's deparo-me com este CD, especialmente este. Estanquei, preplexa, e revi-me na mocidade mal vivida e digo mal vivida porque foi vivida com a igual rapidez das pessoas que eu tinha acabado de observar e me tinham cansado com a sua rapidez no modo de viver o dia, o momento, e afinal eu tinha vivido do mesmo modo e nem me tinha apercebido do que tinha perdido e que jamais recuperaria. Acho que passei uns bons momentos a olhar para a capa daquele CD e a lembrar-me dos meus poucos anos de mocidade e da passagem imediata a adulta, a mulher responsável, ter de fechar o espírito, o coração e as ideias da juventude num cantinho do meu coração e tentar esquecer-me delas para iniciar de imediato outras ideias outro espiríto e outro pensamento. Foi como fechar uma porta e abrir outra. Acto imediato.
Naquele momento abriu-se a gavetita onde eu escondi durante tantos anos a mocidade, onde muitas ideias, ideais, sonhos, que estavam guardados já restavam poucos a maioria tinha-se desfeito com o tempo e transformado em poeira.
Mas a música essa ficou, e o Conjunto Académico João Paulo veio comigo. E ainda me lembro de quase todas as canções. A música perdura no tempo e no nosso espiríto.




2 comentários:

joão marinheiro disse...

cresci a escutar musicas deles...
abraço de mar
e
afinal tarde mas comento no seu blog

Abelhaferrona disse...

Nem sabe como me sabe a tarde de maresia ter um comentário seu no blog. Também eu cresci a ouvir e a dançar nos "bailes" de garagem ao som destas músicas, ainda há bem pouco tempo passei os dedos por cima do single original. Obrigado João Marinheiro, volte sempre.
Um abraço desta abelha sem ferrão
Ana