terça-feira, 9 de setembro de 2008

Sicrano




"Eu sou aquele que veio ao Mundo por engano,
Eu sou aquele que a mágoa consome,
E sou aquele que todos tratam por "Sicrano"
Por não saberem o meu nome.

Eu sou aquele que todos olham de soslaio,
Aquele de quem nunca ninguém ouve o pranto,
E sou aquele que todos os dias caio
E nunca, em nenhum dia, me levanto."


Rogério Medeiros - Poesias sem nome

1 comentário:

Rogério Medeiros disse...

Olá, Ana! Obrigado por gostares da minha poesia e a incluíres no teu blog. Beijinho. Rogério Medeiros