sexta-feira, 12 de setembro de 2008

AMOR


Não publiquei a foto de frente para que a nossa intimidade não fosse tão visível. Somos simples demais para exposições desnecessárias, e a nossa simplicidade torna-se a nossa arma mais forte contra os "ataques" vindos de todas as frentes, mas de tão "atacados" estamos imunizados, venham mais 10, que nós damos "cabo" deles.
Agora mais a sério, o post anterior é teu. Só não o disse, porque acho que entenderias pela letra da canção, dediquei-a a ti a a mim também, chamem-nos o que quiserem, achem o que acharem, mas um amor como este acontece raramente, e nós muitas vezes esquecemos que tratando-o como o tratamos, às vezes, deixamos que ele se dilua entre o poder que os outros pensam que têm, mas não têm sequer a força de puder vir a ter poder para nos derrotar, só nós nos derrotamos, só nós matamos .....
Espero puder escrever-te muitos posts e ler muitos posts teus .....
Tua para sempre,



3 comentários:

ProsasVadias disse...

Passando por cima das minhas relações com a fotogenia, más, péssimas, fica aquela data que inaugurou o serviço público de distribuição de água naquela cidade. Poucos saberão que cidade é, fiquemos narcisicamente nós a contemplar aquele momento nosso e mais nada. Obrigada pela tua paciência carinho e amor por esta pessoa, que sou eu. O teu Narciso que segundo o Islão é pessoa recta e honesta. Dai que a generalização feita por ocidentais pouco escrupolosos na análise se passeie pela versão tradicional deixada por Ovídio em "Metamorfoses" e difundida pelo renascimento na cultura europeia. Enfim barbaridades.
TEU

Anónimo disse...

Vou tentar responder-te com palavras caras, mas terei que ter pachorra e hoje confesso, basta-me a minha ignorância que tanta afronta faz aos ilustres narcisistas, que de tão ilustres quererem ser que só mostram que lhes faltam quem lhes salte para cima como gosto e criatividade, por norma os letrados e ilustres palradores de palavras caras estão com faltas noutros campos e nada melhor que Freud para explicar isso, porque tudo na vida se resume a sexo. Muito ou pouco, bom ou mau. E os ressabiados por norma tem algum mas fraco sem imaginação.
Soltem os cães, tirem-lhes as trelas e "dispam" essa carapaça de intelectuais de merda, e vivam a vida, porque a morte ainda ninguem veio dizer como se vive lá.
Tua mulher
Ana

Gonçalo disse...

Por momentos pensei que estarias num acto de puro exibicionismo da retaguarda do teu amor, mas mais tarde percebi que estavas num acto de pura afirmação e defesa inabalável do sentimento que vos une!
Desconheço as razões de desconfiança sobre a vossa relação, no entanto gostei de vos sentir naquela noite na Feira Popular, acho que são acima de tudo duas pessoas decididas, cultas e bem definidas.
Por falar em vocês, o café continua de pé para ser tomado na Veneza portuguesa...

Beijinhos, um abraço para o teu amor e até breve:)