domingo, 19 de outubro de 2008

MEIO SÉCULO

E assim chego a metade de meio século de vida, ainda com um espírito muito jovem, muito aberto, muito "prá frentex", mas dentro de mim será que o tempo parou????? Ou estarei a pedir demais á vida?????

Talvez, mas isto é como educar um filho, nunca sabemos de estamos bem ou mal, eles não trazem livro de instruções, e a nós, e falo por mim, apareceu-me um "boneco" nas mãos sem saber nada, nunca ninguém me tinha ensinado como se cuida das crianças, acho que tivemos que aprender os dois, e até hoje ao fim de 30 anos e meio ainda estamos a aprender.

Tenho pena isso eu tenho, não de ter tido um filho tão nova, mas de ter perdido a minha adolescência, houve um hiato na minha vida da infância passei a mulher, a adolescência não existiu.

Existiu nestas músicas que hoje vou descobrindo, e me fazem recordar o quanto ás "escondidas" eu dançava, pulava, cantava, vivia aqueles sonhos como se estivesse lá, sem ninguém ver, porque embora com vinte anos eu era uma Senhora casada e isso ficava mal.

Pobre Senhora casada, hoje acho que se fosse conhecer uma discoteca, talvez não achasse graça nenhuma, nesse hiato muitas coisas foram fechadas, escondidas, e tornadas pecaminosas, e talvez por isso algo dentro de mim não está resolvido e acho que agora, com meio século de vida em cima, já não vai ser resolvido.

Acredito na minha volta a esta vida, talvez venha num ser humano, numa planta, num animal, mas acreditem se houver alguma memória que me faça lembrar que nunca vivi a adolescência, irei ser sempre adolescente.

Jovens adolescentes, façam todas as asneiras que um adolescente deve fazer, com consciência e moderação, mas façam, não deixem nunca de vestir o que vos apetece, não deixem de ir a locais que não vos deixem, não deixem de experimentarem o que vos apetecer, e tenham consciência para escolher, para optar, para que um dia possam dizerem alto e bom som: "caramba, não tenho saudades desse tempo, acho que experimentei tudo, e agora estou bem........."




9 comentários:

cfreitas disse...

A solução

Nunca sigas apenas a razão,
escuta também o coração.
É por entre o que pensas e o que sentes
que acharás a solução
e nunca, por mais que tentes,
em qualquer dos extremos, não.


Torcato da Luz (http://oficiodiario.blogspot.com)

para ti com todo o carinho que habita o meu ser e que nele fazes haver também.

Anónimo disse...

Pensei que no teu coração habitava mais qualquer coisa além do carinho, mas como dizes e deves ter razão, eu sigo muito a razão, deixando o coração para segundo plano.
A mulher sensível e humana, fica sempre em segundo lugar, deixando em primeiro lugar a mulher fria, calculista, pensando sempre nos outros e deixando o meu querer sem querer.
Gosto dos teus comentários, embora os ache sempre um pouco frios, sem a sensibilidade que existe em ti. Talvez não gostes de mostrar os teus sentimentos.
Paciência.
Abelhaferrona

carlos freitas disse...

OH Meu Amor, não gosto de embandeirar em arco e fazer floreados demasiado públicos, sou como sou e tu sabes como sou. Porque haveria de esbanjar a sensibilidade e o amor que nutro por ti aqui, se os posso esbanjar em ti.

Abel Santos disse...

"Meio século de idade, ou metade de meio século? Foi engano ou não?.
Cumprimentos

Abelciclos

Anónimo disse...

Não Abel, foi mesmo meio século de vida. 50 anos. Era bom ser metade de meio século de vida e ter a qualidade "mental" adquirida nestes 50 anos.
Não queria voltar aos 25 anos, ai foi uma paragem mental muito grande, cresci, tornei-me mais consciente e mais feliz, vivo "solta" sou eu mesma.
Abraço
Abelhaferrona

Gonçalo disse...

"Uma mulher de meio século com espírito de metade de meio século"

Este foi o meu primeiro pensamento a teu respeito quando te conheci, foste e continuas a ser uma agradável surpresa e tens tudo para continuares a respirar saúde e iluminares o mundo que te rodeia!

Quanto às discussões conjugais, aproveitem o calor do edredon para trocarem os vossos ósculos e cafunés, a malta não quer trocas de miminhos enquanto fica na "secura" (termo brasileiro para jejum sexual) :P

Beijinhos, abraços e divirtam-se:)

Anónimo disse...

Por esta banda ainda não chegou a secura, com edredons ou sem eles, a inundação existe. O meio século não me pesa em nada, antes pelo contrário dá-me um gozo, que nem imaginas, então quando digo que quero ser avó, e o meu filho deu-me uma cadela para me calar, então é gargalhada a seguir, e quando vou ter com a minha nora ao Banco e os colegas dizem: "S.... é a tua amiga que diz que é tua sogra para gozar com o pessoal, ai que rica sogra" então desatamos a rir, porque realmente esqueço-me e vou ter com ela quando me apetece e tanto vou de mini saia como de calções ou jeans, claro quer eu própria olho para mim e desato-me a rir. mas enfim, isto só para quem me conhece, palavras para quê sou eu mesma, aquela que tanto dá uma valente gargalhada, como desata a chorar quando vê a miséria, aquela que passou ainda há pouco nun casting para uma marca de roupa até aos 16 anos, como aquela que se senta no chão da escada do CSaúde a chorar a para com a minha velhota que adoptei. Eu sou mesmo assim, palavras para quê, sou a Ana
Beijos
Ana

JP disse...

Cara amiga,

Apesar de super atrasado, com mil desculpas, aqui deixo os meus parabéns, votos de muitas felicidades e que contes muitos, muitos, e bons anos. Que daqui a outros tantos possa aqui estar a desejar-te:

PARABENS

JP

Anónimo disse...

Obrigado JP, os meus parabéns também atrasados e sinceramente sem saber qual a data, sei que deve ter sido em Novembro, mas não sei o dia, de qualquer modo, muitos e muitos e bons cada vez melhores, pois nós os "entradotes" e falo por mim, somos como dizem os apreciadores de bom vinho do Porto quanto mais velho melhor, e para que não caia em erro o ditado é melhor é nem abrir a garrafa.
Parabéns
Ana